23 de dezembro de 2008

Quase

Quase perto, quase incerto, quase dor, quase aí, quase amanhã, quase depois. Quase madrugada, quase aurora, quase dia, quase agora.

Foi quase, quase sete. Foi quase, quase luz. Foi quase, quase escuro. Foi quase, quase choro. Foi quase alegria singela. Foi quase, quase magia. Foi quase, quase sonho.

Foi quase fantasia, foi quase aventura, foi quase um espanto, foi quase um só momento.

Foi quase tarde, foi quase cedo. Foi quase outro ou outra até.

Mas fui eu, “Quasemente”.


Quase, certamente.

2 comentários:

m. disse...

Por ser quase em tudo. Já foste e és sem retrocesso.

Bem-vindo/a.

Telmo disse...

é um prazer ter-te aqui.